quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Eu [não] vou viver uma virada em minha vida, eu creio

 
 Por Andrew McAlister

“Sem percebermos, a Teologia da Prosperidade fisgou muitos, pelo menos em parte. A partir do momento em que reclamamos contra Deus por não vivermos de bem com a vida, já partilhamos do espírito neopentecostal. Antigamente, os cristãos sabiam o que era sofrer com fé num Deus que no fim resgataria toda a sua criação. Hoje, qualquer privação ou mal-estar é visto como uma falha da nossa fé. É uma mentira neopentecostal e deve ser identificada como tal.” 


É muito complicado conciliar a Palavra de Deus com muito do que se tem pregado e cantado hoje em dia. Sempre que me deparo com mais um livro que fala sobre os tesouros que Deus têm para mim hoje ou mais um CD cuja faixa tema fala do dia da minha grande vitória, eu travo. Travo mesmo. Dá um tilt na cabeça, daqueles do tipo de tirar o cartucho do console e soprar pra ver se volta a funcionar (Quem nunca, né?). Onde é que está esse grande dia que nunca chega? Será mesmo que esse dia chega?

Abro as mãos e olho para elas. Meus dedos são tomados por manchas da vitiligo que me aflige desde pequeno. Não tem cura, mas tem tratamento. No caso da minha vitiligo (são sete tipos diferentes), é por meio de aplicação diária de loções que queimam assim como sessões mensais de injeções locais. Imagina tomar umas quarenta agulhadas nos dedos, ao redor do olho, no canto da boca, joelho, pé… Em resumo: dói. Muito. E eu odeio agulha. Mesmo.
Há pouco menos de dois anos descobri que sofro de hipotireoidismo. Lembra daquilo que o Ronaldo Fofômeno falou que tinha e por isso engordou muito? Pois é. Eu tenho isso mesmo, de verdade. Também não tem cura, só tratamento. Esse não é tão ruim. Fora os exames de sangue de rotina (já mencionei que odeio agulhas?), basta tomar um remédio toda manhã com um copo d’água e esperar trinta minutos pra comer. Esse aí é colher de chá. Mas basta parar de tomar o remédio que engordo rápido a beça, fico cansadíssimo, corro risco de ter ataque cardíaco e outras coisas mais.

Tenho algumas tendinites que volta e meia me lembram que sou pó e uma gastrite nervosa que adora aparecer quando estou com muita coisa na cabeça. Ah, e tem dias que tenho crises alérgicas absurdas. Mais alguém conhece todas as fórmulas de Celestamine, Polaramine, Allegra, Claritin, Claritin D, Loralerg e por aí vai? Ou só eu mesmo?

Na adolescência, minha mãe sofreu um acidente de carro do qual ela teve complicações que ainda a afligem. Já falei sobre isso no post (This is not the end… Isso não é o fim), então quem quiser saber detalhes, dá uma olhadinha lá. Além das dores, sofre de depressão. Quem já lidou com depressão, seja própria ou de alguém da família, sabe o quanto é difícil lidar. É uma luta diária para não se deixar abater com isso, e não é uma luta que vencemos todos os dias. Há dias em que o silêncio dentro de casa é ensurdecedor e qualquer tentativa de falar é de partir o coração. Ela está se tratando, mas cada médico faz uma nova promessa de que ela melhorará. Mas até agora nenhuma se cumpriu.

Vários amigos meus estão casando ou ficando noivos, quase todos mais novos que eu. E eu… continuo solteiro. Sim, Deus está preparando minha noiva e quando chegar será maravilhoso… mas com toda a alegria que tenho ao ver um amigo “se resolvendo”, dá uma pontada de inveja, confesso. Feliz por eles… triste por ouvir aquela voz sussurrando: “E a tua? Cadê?”

Minha vida não é das mais fáceis. Mas também não posso reclamar tanto assim, afinal, tem gente que na minha idade já não tem mais nem pai nem mãe… ou saúde. Outros perderam um irmão. Do outro lado do mundo, há igrejas inteiras que são queimadas com seus membros dentro. Há centenas de milhares de mães cristãs cujos filhos estão no fundo de um caixão, pois não renunciaram a sua fé em Cristo. Na mesma proporção, vários filhos vão dormir sem ter o calor de um abraço paterno, pois o pai foi seqüestrado por servir a Cristo.

Nas próximas eleições, tenho certeza que mais uma quadrilha será eleita. No ano seguinte, um talvez irá preso, mas outro logo se levantará no seu lugar. O Neymar vai continuar dizendo que é crente enquanto as fotos dele num iate com outra modelo nada modesta aparecerão na capa de sei lá qual revista. E mais um pastor abandonará seu ministério por desgosto, pois não acredita mais na Igreja.

E a tal da grande virada? E o dia da vitória? Daí vem o profeta Habacuque e diz:

“Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação.” (Hb 3.17,18)

E lembro-me do “Deus de aliança, Deus de promessas, Deus que não é homem pra mentir…”:
“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” João 16.33

Mais um…

“Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” Romanos 8.36-39

Qual é a grande virada que sou capaz de viver na minha vida? Somente uma. Um dia, eu não conhecia Cristo. No outro, Deus abriu meus olhos para que eu enxergasse que sou um miserável pecador, merecedor da ira divina. Mas Ele me amou e me salvou para que eu pudesse viver com Ele eternamente. E que vida eterna é essa?

“E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” João 17.3

O que mais vemos hoje nos blogs, programas de televisão e afins é uma discussão continua e violenta a cerca da Teologia da Prosperidade, o neopentecostalismo e toda sorte de aberrações que são atribuídas a Cristo. Não vou juntar minha voz a tamanha agressividade e briga. Mas também não posso ficar calado.

Meu coração rasga, parte, de verdade. Isso não é o verdadeiro Evangelho. Isso não é a razão pela qual Cristo se deu por nós como sacrifício perfeito. Meu coração chora ao pensar que isso é o melhor que nossa geração tem a oferecer. Pior ainda é pensar que pessoas depositam suas vidas e esperanças em coisas que não são dignas de tal investimento. Se decepcionarão e talvez nunca mais entrem numa igreja tal o nível de desapontamento quando a tão esperada “virada” não chegar. Nunca mais darão ouvidos a Cristo, pois o Jesus que lhes foi apresentado não satisfaz tal esperança.

Com tanta coisa ruim que acontece na minha vida e na vida de tantos ao redor do planeta, a tentação é cair na auto comiseração, sentindo pena de mim e de tantos outros. Não faça isso. Nós não precisamos da sua pena. Tenho pena, sim, daqueles que depositam a sua fé em coisas que certamente as desapontarão.

Não há quantidade suficiente de dinheiro que traga felicidade ou segurança. Sua saúde pode desaparecer em uma questão de minutos. Aqueles mais queridos podem ser vítimas de um acidente. Qualquer esperança fundada em coisas físicas deste mundo equivale a nada, pois um dia tudo e todos retornarão ao pó de onde viemos. Mas a minha esperança foi pendurada numa cruz, moída e traspassada pelos meus pecados. Por amor a mim. E isso, ninguém pode tirar.

Não sou “apenas mais um” criticando a Teologia da Prosperidade e suas canções divertidas. Não o faço para ser agressivo ou debochado. Faço isso para que pessoas possam buscar a verdadeira vida eterna, o verdadeiro conhecimento do “único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.”

E quando enfim Jesus vier em Glória
E ao Lar Celeste então me transportar

O adorarei, prostrado e para sempre

“Grandioso és Tu, meu Deus!”, hei de cantar
Então minh’alma canta a Ti, Senhor:
“Grandioso és Tu, Grandioso és Tu!”     2x

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário