segunda-feira, 27 de maio de 2013

Refutando as doutrinas das igrejas orgânicas


Por Denis Monteiro


Tentarei ser breve em minhas respostas às citações feitas pelos adeptos deste modelo de igreja.

IGREJA ORGÂNICA: "As igrejas orgânicas se reúnem principalmente nos lares dos seus membros, como fazia a igreja no primeiro século."

RESPOSTA: Temos que entender o motivo do porquê. Não se podia ter igrejas (templos) construídos na época dos apóstolos até o fim de 380 d.C com a oficialização da religião do império. Os primeiros cristãos mudavam as cidades, mexiam com o sistema, eram intelectuais... Podemos dividir esse período em: “Período Apostólico” (30-70 d.C), “Período Sub-apóstólico” (70-135 d.C) e “Período dos Mártires e da Institucionalização da Igreja” (135-313 d.C). O termo “Apóstolo” significa “enviado”, em grego. Missionários itinerantes, que tiveram contato com Jesus de Nazaré. Foram testemunhas oculares. Até o ano 100 d.C os cristãos ainda são bem desconhecidos. Os romanos os confundem com os judeus. Aos poucos, o cristianismo vai mostrando sua existência. Era o início da “Grande Igreja”.

O Cristianismo nasceu e desenvolveu-se dentro do quadro político-cultural do Império Romano. Durante três séculos o Império Romano perseguiu os cristãos (época das perseguições), porque a sua religião era vista como uma ofensa ao Estado representava outro universalismo e proibia os fiéis de prestarem culto religioso ao soberano. Aos poucos se propagou em Roma e pelo império.

As principais e maiores perseguições foram as do imperador Nero, no século I (morte de Paulo, Pedro), a de Décio no ano 250, a de Valeriano (253-260) e a maior, mais violenta e última a de Diocleciano entre 303 e 304 que tinha por objetivo declarado acabar com o cristianismo e a Igreja. O balanço final desta última perseguição constituiu-se num rotundo fracasso, Diocleciano, após ter renunciado, ainda viveu o bastante para ver os cristãos viverem em liberdade.

No século IV, o Cristianismo começou a ser tolerado pelo Império, para alcançar depois um estatuto de liberdade e converter-se finalmente, no tempo do imperador Teodósio (379-395), em religião oficial do Estado (380). O imperador romano, por esta época, convocou as grandes assembleias dos bispos, a saber, os concílios e a Igreja puderam então dar início à organização de suas estruturas territoriais.
As Catacumbas, as galerias escavadas, que eram usadas como esconderijo ou sepultura, exclusivamente por cristãos... As galerias muitas vezes têm dois ou três metros de altura e, de um a dois metros de largura, porém algumas vezes são menos espaçosas. É o lugar de ajuntamento onde os cristãos primitivos se reuniam para adorarem ao seu Deus e Salvador. (As catacumbas de Roma; Beijamim Scott; CPAD)
Infelizmente, as catacumbas de Roma não servem de inspiração para algumas igrejas, para que realizem seus cultos. Analisemos um texto: "Porque, se entrar na vossa sinagoga algum homem com anel de ouro no dedo e com traje esplêndido, e entrar também algum pobre com traje sórdido." (Tiago 2.2)

Veja que o autor do texto toma o sentido judaico de igreja para aplicar à igreja aonde é direcionada a carta. A palavra "sinagoga" tem como sentido construções onde aquelas assembleias judaicas solenes eram organizadas. Ou seja, percebe-se que antes mesmo das perseguições se concretizarem, possivelmente já havia um lugar de reunião como descreve Tiago, irmão do Senhor.

IGREJA ORGÂNICA: "...aplicam suas ofertas no cuidado dos necessitados e na plantação de novas igrejas orgânicas, ao invés de aplicá-los em manutenção de templos e em salários de ministros profissionais."

RESPOSTA: A forma que estão aplicando as ofertas é bíblico, e isso eu reconheço (Tg 1.27; 1º Tm 5.16). Mas dizer que as ofertas não são para a manutenção de templos e salários dos ministros, é antibíblico. Vejamos algumas passagens que nos provam ao contrário:

"Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja MANTIMENTO na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos," (Malaquias 3.10 - ênfase do autor).

"Os presbíteros que governam bem sejam tidos por dignos de duplicada honra, especialmente os que labutam na pregação e no ensino. 18 Porque diz a Escritura: Não atarás a boca ao boi quando debulha. E: Digno é o trabalhador do seu salário."(1ª Timóteo 5.17,18)

IGREJA ORGÂNICA: "..suas reuniões são participativas-livres - todos participam ativamente (ministram e são ministrados) - não há clérigos; qualquer irmão pode trazer uma palavra, orar, compartilhar um cântico, uma poesia etc. (com base em 1 Cor. 14.26-27)."

RESPOSTA: Bom, como provado no argumento acima, a pessoa responsável por trazer a mensagem e/ou o ensinamento era e é o presbítero (pastor). Não existe base bíblica para que não haja uma hierarquia eclesiástica, pois a Bíblia nos mostra claramente que havia os apóstolos (homens que andaram com Jesus) e diáconos (homens encarregados de servi a mesa (Atos 6). Quanto a oração não há restrição bíblica para que haja na igreja, conquanto que seja com ordem e decência. A onde que os apóstolos ensinaram que temos que ficar recitando poesia dentro da igreja?

IGREJA ORGÂNICA: "Cristo é o Cabeça das igrejas orgânicas e dirige diretamente as reuniões, por meio do Espírito Santo e não por meio de liturgias fixas."

RESPOSTA: Sim, cremos que Cristo é o cabeça da Igreja, cremos porque a Bíblia nos diz. Sobre a liturgia, ela é bíblica e os adeptos da igreja orgânica, citando 1º Coríntios 14.26,27, deram um tiro no próprio pé, pois o que Paulo fez é uma ordem litúrgica: "Portanto, meus irmãos, o que é que deve ser feito? Quando vocês se reúnem na igreja, um irmão tem um hino para cantar; outro, alguma coisa para ensinar; outro, uma revelação de Deus; outro, uma mensagem em línguas estranhas; e ainda outro, a interpretação dessa mensagem. Que tudo seja feito para o crescimento espiritual da igreja." Veja que a palavra "outro" define a ordem que se deva seguir ou respeitar, como provado pelo próprio Paulo: "Portanto, façam tudo com decência e ordem." Nós, reformados, presamos pela liturgia e cremos que, por intermédio dela, Deus age por seu Espirito. A palavra liturgia significa, segundo o tradicional dicionário, o culto público e oficial instituído por uma igreja; um ritual ou cerimonial religioso. A palavra liturgia tem sua origem primeira no grego leitourgia, que significa serviço, ritual ou de outra natureza; um serviço prestado a alguém em necessidade, executar um serviço (religioso). Os escritores do N.T. adotaram a terminologia em relação à compreensão cristã da responsabilidade perante Deus e da solicitude generosa pelos seres humanos. A palavra substantiva e seus correlatos verbais e nominais aparecem no Novo Testamento cerca de 15 vezes.[1][2]

IGREJA ORGÂNICA: "...pastores são simples pais de família, maduros na fé e na idade (presbíteros), exemplos para os demais; são voluntários..."

RESPOSTA: Sim, tais pastores têm que ser pais de família (1º Tm 3.1-6). Já sobre o pastor ser "velho", por achar que a idade cria experiência, engano (O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento. Pv 1.7) Timóteo, filho na fé de Paulo, era jovem e pastor (1º Tm 4.12). Ser pastor não é ser voluntário como em uma ONG. Ser pastor é um chamado Divino, um dom dado por Deus. Paulo aos Efésios deixa isso bem claro: "E ele deu uns [para] pastores" (Efésios 4.11).

"Igreja genuína é toda aquela que proclama a Palavra fielmente e ministra os sacramentos dignamente. abandoná-la constituiu falta mui grave." João Calvino.



Notas:
[2] Hb 1.7 (leitourgouz), 1.14 (leitourgika); 8.2 (leitourgon), 8.6 (leitourgiaz); 9.21(leitourgiaz); 10.11 (leitourgwn); At.13.2 (leitourgountwn); Lc1.23 (leitourgiaz); IICo9.12 (leitourgiaz); Fp2.17 (leitourgia), 25 (leitourgon), 30 (leitourgiaz); Rm 13.6 (leitourgoi); 15.16 (leitourgon); 15.27 (leitourghsai).
*As citações sobre a "igreja orgânica" foram extraídas do site: 
http://www.igrejaorganica.net
 

6 comentários:

  1. Olá, Gostei do teu blog e gostaria de fechar uma parceria de divulgação. Tenho um blog pessoal, se houve interesse. Entre em contato ou pela caixa de mensagem do blog ou através do meu email: sthefanobatera@hotmai.com
    www.sthefanobarbosa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz Sthefânio.
      Estarei conhecendo o seu blog e, possivelmente, fechando uma parceria.
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  2. Paz do Senhor, amado irmão Silas! Como vai? Este seu blog é um dos que sigo pois amo apologética (que é a área de estudo em que me dedico). Confesso não possuir a profundidade do irmão nem tampouco do articulista Denis Monteiro. Minhas sinceras congratulações pelo oportuno e profícuo artigo. Fiquei muito feliz pelos mesmo pois tem o propósito de defender o Evangelho (Filipenses 1:17), batalhar pela fé (Judas 3), preservar o rebanho de Cristo (I Timóteo 4:16), e, por fim, exaltar a verdade (João 8:32; 17:17).

    Apologeta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz Apologeta.
      Obrigado por nos acompanhar e também nos incentivar.
      Que o Senhor lhe dê sabedoria e graça para poder se manter fiel nesse propósito de combater as heresias e defender a fé pura e simples que é o Evangelho de Jesus Cristo.
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
    2. Paz do Deus vivo, amado irmão!

      Não tenho maior gozo do que este, o de ouvir que os meus filhos andam na verdade. (III João 4).

      Esse é o regozijo do Senhor dos Exércitos que não só defendamos como vivamos na verdade.
      "Conhecimento sem graça é discurso. Graça sem conhecimento é fanatismo." (Conf. II Pedro 3:18)

      Amado irmão, peço sua permissão e me adianto a usar esse artigo no meu humilde blog de apologética (www.guardianfaith.blogspot.com). Se for possível, gostaria de postar um artigo da vossa lavra para contribuir no meu blog.

      Apologeta

      Excluir
    3. Graça e paz Apologeta.
      Fique a vontade, tais heresias precisam ser refutadas e precisamos alertar as pessoas a respeito delas.
      Quanto aos meus artigos envie-me o seu e-mail e estarei lhe enviando alguns, ou, se guiser, pode ir no blog http://prsilasfigueira.blogspot.com.br/. Nesta página tem alguns dos meus textos.
      Fique na Paz!
      Pr.Silas Figueira

      Excluir