terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Sedes milionárias e congregações miseráveis

Por Pr. Alexandre Farias

Eu fico a vontade em falar sobre este assunto, eu sou pastor, prego em igrejas enormes, grandes, pequenas e até aquelas já foram esquecidas pelos presidentes do ministério. Quer dizer, eu prego em igrejas que nem o presidente do ministério sabe que existe; a sua existência só é percebida quando o pastor não envia o dizimo a sede.

Certa vez fui pregar em uma igreja na favela de Guarulhos, a rua só dava para entrar 1 carro, os bancos já estavam gastos, não tinha bebedouro, existia 1 único banheiro, mas aquele povo era cheio do poder de Deus, eu pude sentir a unção de Deus naquele lugar. Pregar ali foi um presente de Deus.

Eu lembro que passei os olhos sobre aquele lugar e percebi que era uma igreja necessitada e sofrida, que tinha sido esquecida por aqueles que pedem fidelidade aos seus liderados, por aqueles que pregam o amor ao próximo, mas não faz o que pede, não demonstra o amor ao povo que Deus lhe deu para cuidar. Não estou falando do pastor daquela congregação, pelo contrário, estou falando dos poderosos e adorados presidentes de ministério.

Eu pensei que aquela igreja pertencia a um ministério novo, mas a minha surpresa foi quando um irmão me disse que aquela humilde igreja pertencia a um ministério que vemos pela TV que o pastor vai de helicóptero para a sede e viaja em seu avião particular quando precisa.

Naquele momento senti de escrever este artigo, mas eu pensei que eu estava sendo muito duro e rígido nos artigos que escrevo, eu poderia ser mais amável em alguns e por alguns momentos eu imaginei que aquela vontade era apenas minha, e não de Deus, uma vontade humana por ver a necessidade daquele povo.

Engano meu, aquele culto foi especial.

Naquele culto eu vi crianças e jovens louvando a Deus de verdade, pude ver os olhos brilhando daqueles que cantavam para louvar a Cristo, por um momento eu baixei a minha cabeça e lembrei-me de quantos jovens vão à igreja apenas porque tem uma banda, quantos correm atrás do pregador “a” ou “b” ou procura algo de especial para sair de sua casa e ir a igreja.

Quantos são membros da igreja ou ministério “A” ou “M” apenas porque o grupo de louvor já gravou diversos CDs ou o seu pastor tem um programa na TV. Mas aquela igreja tinha o que muitas destas igrejas deixaram de ter – a presença de Deus.

Quando eu estava de cabeça baixa escutando o grupo de jovens cantar um lindo louvor, senti a mão de um jovem na minha cabeça. Naquele exato momento o Senhor usou-o com autoridade para me dizer que aquilo que eu tinha em meu coração não vinha da minha vontade, mas da vontade Dele. Que Deus tinha me separado para ser atalaia e que não era para que eu ficasse calado, mas falasse aquilo que o senhor colocou em meu coração. Deus disse outras coisas, percebi que este artigo nasceu no coração de Deus e não no meu.

Pedi perdão a Deus e disse que escreveria aquilo que Deus colocasse em meu coração – doa a quem doer, seja conhecido ou não, seja pastor, apóstolo ou aquele que busca sentar na trindade.

A minha boca vai ser instrumento de Deus.

É desta forma, com esta experiência linda e muito importante para mim que nasceu este artigo – Sedes milionárias e congregações miseráveis.

Quantas congregações estão sendo esquecidas pela sede! Muitas já nem são contadas porque o seu dizimo não passa da quantia que os donos das igrejas acham que deveria ser.

Muitas passam por necessidade, não tem condições financeiras para dar o mínimo de conforto para seus membros enquanto a Sede esbanja o seu dinheiro em bens matérias.

Eu vejo que muitas igrejas começaram de modo correto, mas depois que cresceram começaram a perder a visão que Deus tinha dado a elas.

1º Timóteo, 6:10 "Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores."

Quantos pastores esqueceram de visitar ou ao menos ligar para saber o porque alguns já nem mais vão aos cultos!Mas em seu discurso a frase “eu amo vocês” está dita ao berros. Mas será que ama mesmo?

Será que estes pastores estariam prontos a fazer como a parábola das 99 ovelhas? Eles estariam prontos a deixar as 99 para buscar aquela que se perdeu ou preferem empurrá-la no precipício porque ela daria menos trabalho do que estivesse viva?

Eu fico pensando...

Será que estes pastores que querem milhões para pregar a palavra de Deus estariam prontos a sentar em uma praça como Jesus fez diversas vezes? Será que necessitamos de milhões para realizar cruzadas evangelísticas?

Quantos milhões Wesley precisou para pregar ?

Para alguns a pregação deve ser um show se não ela não tem o valor.

Voltando para aquela igreja, eu tenho algumas dúvidas:

Será que aquele que se gaba por ter milhares de congregações já pregou naquelas que estão na periferia?

Será que ele não tem vergonha de pregar a prosperidade financeira enquanto muitas das suas congregações não tem 1 ventilador para refrescar os seus membros em dias de calor?

Será que estes líderes sabem ao menos o nome dos pastores que estão na frente destas congregações?

Será que a Sede não tem responsabilidade de sustentar a sua igreja ou ela deve ser esquecida pelo seu presidente?

Enquanto ele anda de jatinho, irmãos e irmãs não têm dinheiro nem para pegar um ônibus para o seu trabalho, vão a pé para ver se no final do dia sobram alguns trocados para o pão do café da manhã.

Seria errado investir em cestas básicas ou na melhoria das congregações do que pagar programa de televisão para mostrar que seu ministério tem o que muitos não tem?

De vez gastar em programas de TV porque não pega este valor e supre a necessidade destas congregações? Porque ele não troca de lugar com o pastor daquela congregação?

Dizer o que é preciso fazer é fácil, mas fazer o que é preciso se torna difícil.

Talvez o que faça estes líderes esquecer das congregações que possuem seja as cifras e o aconchego dos bens matérias que conquistou.

O grande problema é que ele não quer lembrar que estes bens foram conquistados pelos dízimos e ofertas destes homens e mulheres humildes destas congregações.

O verdadeiro escritório do pastor não é aquele revestido de mármore, de tapete persa, que tem um ar condicionado e que esbanja o requinte de palácios, mas é a casa daqueles que estão doentes e que precisam de atenção. Enquanto muitos compram aviões e helicópteros seus membros não têm nem o que comer em sua casa.

Não adianta apenas pregar o amor, mas amar como Jesus amou.

João, 13:35 "Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros."

3 comentários:

  1. Os presidentes desses mega-templos sempre que podem acusam o pastor dessas congregações humildes de ser desleixado com a "obra de Deus". Ora, sugam todo o dinheiro das igrejas satelites para a sede milionária tal qual nos filmes de vampiros. Ainda chamas essas sedes milionárias e luxuosas de igrejas mãe. Isso é interessante e vai na contra mão, já que mãe amamenta o filho e lhe supre de roupa e alimentos. É so no meio religioso evangelico, com poder centralizado que vemos esse fenomeno, DA MÃE SUGANDO TUDO QUE O FILHO TEM.

    ResponderExcluir
  2. O novo Dízimo (vídeo)
    http://www.youtube.com/watch?v=eISCAYvsJN0

    ResponderExcluir