quarta-feira, 14 de março de 2012

EU CREIO NA CONTEMPORANEIDADE DOS DONS


Por Pr. Silas Figueira

Muitas pessoas têm me questionado se eu creio na contemporaneidade dos dons, a essas pessoas eu tenho respondido que sim, mas aí surge uma nova pergunta, como eu posso acreditar na contemporaneidade dos dons se eu sou Reformado (calvinista)? Simples. Por eu ser calvinista é que eu creio, pois se eu creio na Bíblia e a tenho como regra de fé e prática como eu posso duvidar que o agir de Deus em relação aos dons foi só para uma determinada época?

A Bíblia nos fala em 1Co 12.7-11 a respeito de nove dons espirituais:

12.7 A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso.
12.8 Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria; e a outro, segundo o mesmo Espírito, a palavra do conhecimento;
12.9 a outro, no mesmo Espírito, a fé; e a outro, no mesmo Espírito, dons de curar;
12.10 a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las.
12.11 Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente.

Muitas pessoas pensam que por eu crer na contemporaneidade dos dons eu sou um pentecostal do reteté, que eu apoio essas manifestações em nome do Espírito Santo que, infelizmente, mais parecem coreografia de centro espírita; eu não apoio nada disso e na igreja que pastoreio isso não ocorre. Eu quero deixar bem claro que eu sou radicalmente contra a tudo isso, aliás, no meio pentecostal eu sou visto como uma pessoa “tradicional”, ainda mais por pertencer a Convenção Batista Brasileira, mas no meio “tradicional” eu sou visto como renovado. No que eu creio então, muitos perguntam, já que eu desaprovo essas manifestações? Eu creio em tudo que está escrito em 1Co 12-14 não só por estar escrito como também por experiência própria. Durante esses quase trinta anos que sirvo a Deus eu tenho aprendido e visto muitas coisas. Tanto o agir de Deus, quanto o agir de Satanás, pois nós não ignoramos os seus desígnios, como disse o apóstolo Paulo. Se a Bíblia nos fala na ação de Satanás e Paulo deixou isso bem claro em Efésios 6 onde diz que devemos nos revestir de toda a armadura de Deus para resistirmos no dia mal, como eu posso aceitar que as manifestações e ataques de Satanás são para hoje e duvidar das promessas de Deus e dizer que esse revestimento de poder e autoridade que se encontra em 1Coríntios 12 ficaram no passado? Como dizem alguns que isso cessou com a morte com os apóstolos? Isso é incoerente.

Se for assim eu também não posso crer quando Paulo nos fala a respeito do Fruto do Espírito. Isso também cessou com na morte do último apóstolo?

No entanto eu quero deixar bem claro que os dons espirituais não foram dados à igreja para projeção humana e nem é uma forma de medir o grau de espiritualidade de uma pessoa ou igreja. A Bíblia nos fala claramente que os dons foram dados para a edificação do Corpo.

Hernandes Dias Lopes observa que existem quatro posições em relação aos dons dentro da igreja. São eles:
1 – Os cessacionistas. São aqueles que creem que os dons de sinais registrados em 1Coríntios 12 foram restritos ao tempo dos apóstolos . Para os cessacionistas esses dons não são contemporâneos nem estão mais disponíveis na igreja contemporânea.
2 – Os ignorantes. São aqueles que não conhecem nada sobre dons. Paulo orienta os coríntios para não serem ignorantes com respeito aos dons espirituais. Havia gente na igreja que ignorava esse assunto, e por isso, não podia utilizar a riqueza dessa provisão divina para a igreja.
3 – Os medrosos. São aqueles que têm medo dos dons. Aqueles que têm medo dos excessos. Medo de cair em extremos. O medo leva as pessoas a enterrar os seus dons e não utilizá-los para a glória de Deus nem para a edificação do corpo.
4 – Os que creem na contemporaneidade. São aqueles que creem que os mesmos dons espirituais concedidos pelo Espírito Santo no passado estão disponíveis para a igreja atualmente [1].

O problema não são os dons espiritais, mas o mau uso deles. Por isso que o apóstolo Paulo chama a atenção da igreja de Corinto em relação a isso. Pois apesar de tantos dons aquela igreja era totalmente carnal. Não havia maturidade espiritual, esta era uma igreja infantil (1Co 3.1,2):

“Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo. Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais.”

Mas tem uma coisa que me chama a atenção é que um dos dons mais questionáveis é o falar em línguas, os outros até não se questiona tanto, mas o falar em línguas esse é terrivelmente questionável. Não é porque se duvida desse dom em particular que ele não é para hoje. Muitos ainda dão a belíssima interpretação de que esse dom é a facilidade em aprender novos idiomas, mas não é isso que o texto fala. Eu conheço gente que é poliglota e está longe de ter uma vida com Deus. Isso não é justificativa.

Citando mais uma vez o Rev. Hernandes Dias Lopes, ele diz que é importante ressaltar que o dom de variedade de línguas tem valor. Tudo o que Deus dá é importante. Se é o Espírito Santo que dá esse dom, então, ele tem valor [2]. No entanto eu quero ressaltar que esse dom não edifica a igreja, mas a pessoa que o tem, a não ser que haja interprete (que é também um dom), para interpretar o que está sendo falado e assim toda a igreja será edificada. Tanto que o apóstolo Paulo fala que se não houver intérprete que a pessoa fique calado (1Co 14.27,28):

“No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou quando muito três, e isto sucessivamente, e haja quem interprete. Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus.”

Não devemos dar maior valor a um dom que a outro, pois todos são importantes. Mas o que temos visto no meio pentecostal é uma importância muito grande ao falar em línguas, como se esse dom fosse a prova cabal de que alguém foi batizado no Espírito Santo. Mas eu quero destacar duas coisas que são de muita relevância em relação a esse assunto. Primeiro, se nós observarmos na relação dos dons o falar em línguas ocupa o penúltimo lugar entre os dons. Com isso eu vejo que a pessoa pode ter qualquer outro dom e não falar em línguas. Em segundo lugar, o batismo no Espírito Santo é a imersão no corpo de Cristo no momento da conversão, como nos deixa claro em 1Co 12.13:

“Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito.”

Aquilo que os pentecostais chamam de Batismo no Espírito Santo na verdade deveria ser chamado de “Revestimento de Poder”, que é real, só o nome que está errado.

Talvez você então venha questionar o que é esse “agir de Deus” na maioria das igrejas pentecostais, quero falar isso com muito temor e tremor que isso muitas vezes não passa de histeria, quando não muito a ação satânica. Assim como os crentes da igreja de Corinto vieram, na sua maioria, das religiões de mistério, pois adoravam aos ídolos e eram guiados por espíritos satânicos e muitos deles queriam incorporar ao culto a Deus esses rituais é isso o que temos visto hoje em muitas igrejas pentecostais uma cópia de muitos centros espíritas. Temos visto o rodar, o correr, a dança, dons dos mais diversos que não constam na Bíblia e por aí vai. Mas eu quero deixar bem claro que por isso estar acontecendo em muitas igrejas não anula o agir de Deus em nosso meio hoje e nem deveríamos deixar de lado o que a Bíblia tem para nós hoje.

Os dons têm um propósito, pois tudo que Deus nos dá tem um propósito. Eles são para a edificação da igreja. O benefício não é individual, mas para que toda a igreja seja edificada. Não tenha medo de buscar de Deus esses dons, deixe o Espírito Santo usar você para que o Corpo de Cristo que é a Sua Igreja seja ainda mais abençoado.

Pense nisso e fique na Paz!

Notas:

1 – Lopes, Hernandes Dias. 1Coríntios, como resolver conflitos na igreja, Ed. Hagnos, São Paulo, SP, 2008: p. 224.
2 – Ibid, p. 226.

28 comentários:

  1. Pr.Silas:

    Só uma perguntinha: o senhor além de crer possui dons chamados espetaculares como o dom de línguas, por exemplo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz Fábio.
      Possuo, eu falo em línguas desde a minha conversão em 1982. Além do discernimento de espíritos. A minha esposa também tem esses dons.
      Se tiver mais alguma dúvida é só me escrever.
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  2. Se fosse no Facebook, eu curtia!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz Ednaldo.
      Então pode curtir, pois eu coloquei esse texto no meu facebook.
      Vai lá e curte rs!
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  3. Conte-nos um pouco dessa experiência. A utilização desse dom está dentro do que estabelece as escrituras? Ou seja, "só quando houver intérprete?". Aí pergunto novamente: há algum intérprete por perto? Essa língua "estranha" é inteligível? É alguma língua de algum país conhecido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz Fábio.
      Eu tinha vinte anos quando o Senhor me chamou através da sua graça irresistível. Passei a frequentar uma igreja metodista e foi no período de três meses eu recebi alguns dons, no linguajar pentecostal: "fui batizado no Esp. Santo". Entenda uma coisa, eu fui criado em uma igreja batista da CBB onde não se ouvia nem um amém um pouco mais alto.
      Então quando isso ocorreu comigo, sinceramente eu não entendia nada, mas aí eu recebi orientação dos irmãos dessa amada igreja e por lá fiquei por oito meses. Depois disso eu passei a frequentar uma igreja batista da CBN. O pastor dessa igreja batista era um homem muito simples, no entanto, muito sábio em relação aos dons. A nossa igreja era renovada, no entanto você não via nada dessas loucuras que andam por aí no meio pentecostal. Tudo que eu sei hoje a respeito dos dons espirituais devo muito a esse pastor, inclusive, eu estudei no Seminário Batista do Sul do Brasil graças a esse pastor.
      Quanto ao falar em línguas nem sempre eu falo, e quando falo, geralmente, é em um momento em que estou em oração. Não é nenhuma língua inteligível, mas eu sei o que estou falando. Em nossa igreja há outros irmãos que tem outros dons também, mas tudo com decência e ordem rs.
      Se tiver mais alguma dúvida pode falar estou pronto a respondê-las.
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  4. Opa...insistente sou eu...rs. Vamos lá: que linha é essa que o senhor fala? É alguma linha existente em alguma nação, como por exemplo, chinês, japonês, grego? Ou, antes, é uma língua completamente desconhecida dos humanos?

    Outra dúvida que tenho, e acho que o senhor poderá me responder, já que sabes o que estás falando no momento do uso ativo do dom, é a seguinte: o que exatamente o senhor fala quando do exercício do dom? Por favor, descreva em detalhes. O senhor ver a Deus ou algo assim, alguém, algum ente espiritual lhe diz exatamente o que dizer ou as palavras são fruto de sua consciência mesmo?

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem um pouco Fábio rs.
      A língua que o Espírito Santo me leva a falar não é nenhuma língua que eu conheça. Outra coisa, quando eu recebo a revelação do que estou falando em todas às vezes eu estou glorificando a Deus por todas as suas maravilhas. Já tive visão, mas é muito raro, assim como também já fui usado por Deus para falar para algumas pessoas o que Deus estava me revelando a respeito delas. Quanto ao ver Deus, no dia que eu o ver, certamente eu já estarei morto, ou melhor, fui promovido rs.
      Fábio eu vou ser muito sincero com você, as coisas do Espírito não acontecem a todo o momento. Eu não creio nesse pessoal que anda dizendo por aí que já foi ao céu não sei quantas vezes, que já foi ao inferno e recebeu revelações de como é lá. Isso para mim é conversa de quem quer se promover à custa dos incautos. Esse negócio de ficar procurando gente que diz que tem revelação disso e daquilo é viciante e é coisa de gente que não quer seguir o que está escrito na Bíblia. A Palavra de Deus que deve nortear a nossa vida e não visões. Eu não sou guiado por visões eu sou guiado pela Palavra de Deus. As coisas espirituais ocorrem para edificação do corpo de Cristo que é a sua igreja, mas tendo como sempre a Palavra de Deus como nossa regra de Fé e Prática.
      Outra coisa, eu conheço uma irmã muito abençoada. Essa irmã é inclusive de uma igreja batista muito “tradicional”, mas essa senhora quando ora o céu desce. Estou lhe falando isso porque eu já vi essa querida irmã orando e paz reinar de forma maravilhosa. Ela não fala em línguas e não tem visão, mas tem comunhão com o Pai. Os dons estão aí para quem os quiser isso é fato, mas não é por eu não manifestar nenhum dos nove dons que eu sou menos abençoado que os outros. O que Deus exige de cada um de nós é vida santa e irrepreensível, as outras coisas são uma consequência. Amém?
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  5. O irmão foi muito feliz nesse texto, com excessão em alguns pontos:
    1. Você disse que "Primeiro, se nós observarmos na relação dos dons o falar em línguas ocupa o penúltimo lugar entre os dons. Com isso eu vejo que a pessoa pode ter qualquer outro dom e não falar em línguas". O texto bíblico não diz isso!!!. Só porque Jesus é a segunda pessoa da trindade, Ele é menor que o Pai e maior que o Espírito? Claro que não. A relação dos dons em 1 Co 12.8-10 não visa mostrar grau de importância ou eficácia, mas sistematizar e instruir os coríntios sobre a multiforma graça do Espírito. As línguas são o sinal inicial ou físico de quem foi Revestido de poder. Onde está escrito? TODOS OS RELATOS DO RECEBIMENTO DO REVESTIMENTO DE PODER no livro de Atos (menos o de Paulo), foram acompanhados do "Falar em línguas", o que mostra a intenção do autor em ser didádico no que descreve (graças a Deus por esse sinal! não haverá dúvida pra quem recebe e pra quem está de fora - SIMÃO, O MÁGICO que o diga). 1 Coríntios 12.13 Fala do "MERGULHO, da "IMERSÃO" no Corpo de Igreja. O mesmo Espírito que REVESTI PARA O SERVIÇO é o mesmo que IMERGE PARA SALVAÇÃO.
    2. Você afirmou que "Aquilo que os pentecostais chamam de Batismo no Espírito Santo na verdade deveria ser chamado de “Revestimento de Poder”, que é real, só o nome que está errado". Peço desculpas, mas o irmão se equivocou aqui. Jesus disse que "vós sereis Batizados com o Espírito Santo"; Isso aconteceu aonde? No capítulo 2 de atos,ok? em atos 11.15-16 já esclarece essa questão,ok? Peço por gentileza ler Atos 11.15-16. Batismo no Espírito Santo é o Revestimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz Tadeu.
      Vamos tentar lhe responder de acordo com os critérios que você colocou.
      Em primeiro lugar os dons são nove. Se você observar o que Paulo nos fala em 1Co 12.28-30:
      “A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois, operadores de milagres; depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. Porventura, são todos apóstolos? Ou, todos profetas? São todos mestres? Ou, operadores de milagres? Têm todos dons de curar? Falam todos em outras línguas? Interpretam-nas todos?”
      Veja também:
      1Co 14.4,5 nos diz assim: “O que fala em outra língua a si mesmo se edifica, mas o que profetiza edifica a igreja. Eu quisera que vós todos falásseis em outras línguas; muito mais, porém, que profetizásseis; pois quem profetiza é superior ao que fala em outras línguas, salvo se as interpretar, para que a igreja receba edificação.”
      Observamos aqui que nem todos que eram revestidos do Espírito Santo falavam em línguas. Os textos acima nos mostram isso de forma muito clara.
      O dom de línguas não é inferior a nenhum outro dom, o que eu quis falar é que muitas pessoas acham que ele é o principal e nessa relação todos são importantes. Aliás, o apóstolo Paulo nos deixa bem claro que para ele o dom de profecia era mais importante a igreja naquela época, pois ainda não havia o cânon como havia o AT. Veja o que ele nos fala em 1Co 14.5. Paulo deixa bem claro que quem profetiza é superior ao que fala em línguas.
      Pelos textos nós vemos de forma bem clara que nem todos falavam em línguas.
      Agora em relação ao Batismo no Espírito Santo em At 11.15,16. Antes de analisar esse texto eu quero deixar bem claro que o livro de Atos não é um livro de referência doutrinária, mas como o próprio livro já diz – é um livro de atos, de experiências, não de doutrina. Como já dizia o falecido John Stott: “Não se podemos criar doutrina em cima do livro de Atos.”
      Voltando ao texto que você citou At 11.15,16. Primeiramente esse texto está inserido dentro de um contexto. Qual é o contexto? A ida de Pedro a casa de Cornélio que era um gentio. Por haver ainda preconceito em relação aos gentios é que esse fenômeno se repete na casa de Cornélio, para mostrar para Pedro e os demais apóstolos que o Senhor não faz acepção de pessoas.
      Observe o que o apóstolo Paulo nos fala em Tt 3.3-6:
      “Pois nós também, outrora, éramos néscios, desobedientes, desgarrados, escravos de toda sorte de paixões e prazeres, vivendo em malícia e inveja, odiosos e odiando-nos uns aos outros. Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador.”
      Observe que nesse texto Paulo deixa claro que o derramar abundante do Espírito Santo acontece na salvação. Quando Jesus nos salvou ele nos regenerou e derramou o Espírito Santo sobre a nossa vida.
      Os pentecostais afirmam que “Batismo no Espírito Santo não é a conversão, nem a regeneração, mas uma segunda bênção, que acontece após a conversão, e é caracterizada pelo falar em línguas”. No entanto, para mim que sou Reformado eu defino Batismo com o Espírito Santo teologicamente falando como sinônimo de regeneração e novo nascimento. São termos diferentes para descrever a mesma coisa.
      É por isso que eu digo que esses dons que se encontram em 1Co 12-14 são reais, mas não podemos de chamar de Batismo no Espírito Santo.
      Nós cremos nas mesmas coisas, só que com terminologias diferentes rs.
      Assim eu creio.
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  6. por que há tando dons de lingua, mas o de interprete não se vê. eu nunca vi uma pessoa falar em lingua estranha e aparecer alguém pra interpretar e olha que vivi minha vida inteira em igreja pentecostal do retete, naquelas vigilias que o bicho pegava. o que o pastor acha dos pregadores que prega falando em linguas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz marcelo.
      Eu já vi alguns, mas realmente isso que você observou é verdade. É por isso que o apóstolo Paulo disse que deveria haver ordem nos cultos. Essa questão de pastores falarem em línguas enquento pregam é muito relativo, creio que no meio pentecostal isso é algo que não interfere tanto, em nossa igreja isso raramente ocorre. A mensagem fica muito confusa ao meu ver.
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  7. O debate teológico é importante e é bom que isso seja baseado no amor, como esse que o irmão permite no seu blog. Deus te abençoe de verdade. Vamos lá. Você disse que "Observamos aqui que nem todos que eram revestidos do Espírito Santo falavam em línguas...Pelos textos nós vemos de forma bem clara que nem todos falavam em línguas". Veja que Paulo dá ênfase a UNIDADE/COMUNHÃO que deve haver na Igreja, independente dos DONS que cada irmão tenha. Se o contexto se refere aos dons espirituais(os nove), então a expressão "Falam todos em outras línguas?" não se refere ao uso das línguas NA ORAÇÃO E ADORAÇÃO A DEUS, mas sim, no uso DO DOM DE LÍNGUA, do DOM DE VARIEDADES DE LÍNGUAS. Ora, o cap. 14 de coríntios é a base doutrinária para o uso DAS LÍNGUAS ENQUANTO DOM, e das línguas na adoração e oração. Uma coisa é falar em línguas num momento individual com Deus (cap 14.2,4,13,14,15. Paulo exorta ao uso correto nesse caso), outra coisa é as LÍNGUAS ENQUANTO DOM, pois nesse caso só é útil em momentos específicos (Atos 2 é um exemplo e acompanhado de interpretação também). Por que? Deus não deixa nínguem em dúvida quanto À EVIDÊNCIA DO RECEBIMENTO, assim como o FRUTO DO ESPÍRITO É SINAL DE CONVERSÃO. Quando a pessoa é revestida de poder (esse termo foi Jesus quem falou e é muito forte!) o sinal são as línguas. Quanto à questão de terminologias, batismo com Espírito Santo é uma expressão bíblica e não criada pelos pentecostais. Jesus disse "mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias". Que é uma experiência separada fica evidente começando com João 20.22:"E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo". Nesse momento, irmão, aconteceu o "LAVAR REGENERADOR E RENOVADOR DO ESPÍRITO". Agora o "cair do Espírito", o "receber do Espírito", é uma segunda bênção. Quando Pedro estava dando explicações sobre sua visita a um gentio, ele usa a terminologia que Jesus e João Batista usaram, dizendo: "E, quando comecei a falar, caiu sobre eles o Espírito Santo, como também sobre nós ao princípio.E lembrei-me do dito do Senhor, quando disse: João certamente batizou com água; mas vós sereis batizados com o Espírito Santo". Portanto, Batismo com Espírito Santo é uma obra (poder para servir) e LAVAR REGENERADOR E RENOVADOR é outra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz Tadeu
      Esse assunto por mais que eu tente lhe mostrar teologicamente da forma que eu creio sempre iremos entrar em atrito nas teologias que usamos rs. O livro de Atos não é um livro para se fazer teologia, mas sim as cartas, pois são elas que norteiam teologicamente a igreja. Mas isso é ponto de vista de cada denominação, por isso por mais que eu fale da forma que creio sempre iremos esbarrar nestas questões. Você crê assim, amém. Eu já vejo de outra forma, creio que amém também. No entanto, nós temos algo em comum, primeiro: cremos que Deus reveste a Sua igreja ainda hoje de dons que estão registrados em 1Co 12-14 e em segundo lugar, temos o nossos nomes escrito no livro da vida, não por termos dons, mas por termos sido salvos mediante o sangue de Jesus Cristo derramado na cruz por nós. Eu sou calvinista, não sei se você é ou não. Eu creio piamente na predestinação, não sei se você crê assim. Mas independente da forma que cremos somos de Jesus. Amém?
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira
      PS: Eu conheço bem a maneira como você crê, agora procure dar uma olhada (sem preconceitos rs) na outra forma de se ver essa questão do batismo no Espírito Santo.

      Excluir
    2. Obrigado pelo espaço para comentar. Creio na predestinação também. o "outro lado" eu conheço; já fui um batista. Agora, quanto ao livro de Atos, embora não seja um livro doutrinário, ela tá cheio de doutrinas: 1)pneumologia, escatologia (1.11), angeologia, soteriologia(é o que mais tem!), predestinação e eleição também!!!), demonologia,harmatiologia, a doutrina do juízo, a doutrina da cura, a doutrina da oração, a necessidade do arrependimento, A SALVAÇÃO PELA GRAÇA MEDIANTE A FÉ EM JESUS. A DOUTRINA DOS DONS (profecia, discernimento de espíritos, curas). Esses são alguns exemplos em que um livro, que contém narrativas históricas, expõe ESSAS DOUTRINAS de MANEIRA DESCRITIVAS. Obrigado!

      Excluir
    3. Graça e paz Tadeu.
      Eu é que lhe agradeço por podermos debater um assunto que se tem ridicularizado tanto em nosso meio (net). Concordo plenamente com você que nós encontramos tudo isso no livro de Atos, mas todas elas são pautadas nas cartas doutrinárias. Uma é a prática, outra a doutrina e glória a Deus por isso!

      Agora fiquei curioso. De qual igreja que você era além da batista é claro e qual que você frequenta atualmente?

      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
    4. Conheci o evangelho na primeira batista de Patos/Pb. Hoje congrego na Assembleia de Deus missão em João Pessoa/Pb.

      A Paz do SEnhor!

      Excluir
    5. A família da minha esposa é da Assembléia de Deus também e eu tenho bons amigos lá rs.
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  8. Pr.Silas:

    Eu de novo. Gostaria de pontuar ainda algumas questões. Vou enumerar porque algumas anteriores ficaram sem resposta. Vou tentar repetí-las também. Tenha um pouco de paciência...rs.

    1-Quando o senhor diz "A língua que o Espírito Santo me leva a falar não é nenhuma língua que eu conheça". Isso me parece estranho porque o dom de línguas da bíblia se referiam a línguas inteligíveis, isto é, linhas de algumas nações. Lembra quando Pedro apresentou a manifestação desse dom? "cada um entendia em sua própria língua o que ele dizia. Depois, é mais que sabido que a melhor tradução não seria "línguas estranhas" e, sim, "línguas estrangeiras", isto é, diferente da nossa mas de outro país. Até mesmo essa expressão vem em negrito nas bíblias indicando exatamente que existe uma melhor tradução para a expressão.

    2- o que exatamente o senhor fala quando do exercício do dom? Por favor, descreva em detalhes, se possível tentando escrever aqui os sons que saem da sua boca.

    3- No exercício do dom, o senhor ouve alguma voz, ou seja, alguém lhe sopra o que deves dizer ou apenas as palavras que lhes saem da boca são frutos da consciência?

    4- Se é Deus quem fala para o senhor, devo concluir que são palavras infalíveis? Sendo assim, o que o sai da sua boca, podendo ser escrito, não deveria ser incluído na bíblia, considerando que é uma mensagem direta de Deus?

    5- Estranho o fato do senhor dizer que "Eu não creio nesse pessoal que anda dizendo por aí que já foi ao céu não sei quantas vezes, que já foi ao inferno e recebeu revelações de como é lá. Isso para mim é conversa de quem quer se promover à custa dos incautos". Diante desse estranhamento pergunto: O que faz de sua revelação superior à deles? O senhor diz que recebeu, de Deus, tais revelações, eles, da mesma forma. Isso não é subjetividade de mais para acreditar ou deixar de acreditar?

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me diga que é você de novo Fábio rs?

      1 – As línguas que se falaram em Atos 2 foram inteligíveis sim, mas aquilo foi um fato isolado. Podemos chamar aquele momento ali de dom de maravilhas onde o Senhor se revelou a todas as nações presentes ali. Mas o dom de línguas não é nenhuma língua inteligível, ou seja, de nenhum país. Veja o que Paulo nos fala em 1Co 14.2: “Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.” Esta língua não é natural, ou seja, da natureza humana, procede de Deus. Por isso a necessidade da interpretação de línguas como um dom também.

      2 - Com todo carinho e respeito que você merece, isso eu não vou lhe responder. Orei a respeito e não me senti à vontade em fazê-lo. Amém?

      3 - São frutos da consciência movidos pelo Espírito Santo. Só um detalhe, isso não ocorre comigo a todo o momento, mas só quando sou movido pelo Espírito.

      4 – Nem tudo que Deus falou e fala estão escritos na Bíblia. Leia Jo 21. 24,25: “Este é o discípulo que dá testemunho a respeito destas coisas e que as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos.”

      5 – Eu não sou melhor do que ninguém, mas essas revelações tanto do céu quanto inferno é pura fantasia. Falo isso por ver na vida de Paulo algo semelhante, só que com uma pequena diferença, ele foi ao terceiro céu, viu coisas tremendas, mas não fez disso o seu testemunho diário. Aliás, ele só falou a esse respeito para defender o seu apostolado. Onde mais ele fala de tão coisa? Agora, tem gente que acredita nessas histórias, aí é um problema de cada um. É por isso que existem tantos livros escritos a esse respeito. Para não ser tão radical, pode ser que alguém tenha tido algum arrebatamento de espírito, ou até mesmo morrido e voltado para contar o que viu, mas aos montes como temos visto por aí? Nisso eu não acredito.

      Agora se você acredita nessas revelações não serei eu que tentarei tirar isso do seu coração. Certo?

      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  9. Pr. Silas:

    Eu novamente....rs. Continuando:

    6- Esse verso que o senhor citou é bem interessante mesmo: "Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios", contudo, o fato de "não falar a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, não significa, necessariamente, uma língua inteligível. Ou seja, se alguém, no exercício do dom, fala em grego, hebraico, inglês, chinês, etc, para alguém que não entende, igualmente fala em "mistérios". Portanto, em minha opinião, essa não é uma interpretação que deixa a questão completamente em aberto.

    7- O senhor diz "Nem tudo que Deus falou e fala estão escritos na Bíblia". Verdade. Sou obrigado a concordar, até mesmo pelo texto que citou. Porém, todas aquelas palavras não registradas em João, infelizmente, não temos como recuperar? Não seria ótimo termos acesso a elas? Afinal, quando mais "palavra de Deus" melhor, não é? Sendo assim, já que não podemos recuperar aquelas, que tal tornar acessível a todos nós as que Deus tem lhe revelado particularmente? Não fazendo isso, não estaria dando margem para classificar tal atitude como alguma espécie de egoísmo? Porque se Deus me desse uma mensagem nova, me sentiria na obrigação de torná-la conhecida de todos. Se de fato eu tivesse absoluta convicção de que a tal mensagem tenha vindo diretamente de Deus, não tenha dúvida, daria um jeito de escrevê-la, imprimiria e anexaria à minha bíblia, além de distribuir para que meus irmãos também tivesse acesso.

    Tô gostando da conversa....rs.

    Em tempo: Essas palavrinhas que temos que digitar aqui para publicar comentários são muito chatas....rs. Escrevi um post sobre isso, gostaria que o senhor lesse...rs...as vezes são tão inteligíveis que achei, por um momento, que o senhor tinha resolvido escrever as palavras que lhe pedi no ítem 2....rs.


    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sai do meu pé chulé kkkkkk

      Fábio, também estou gostando da conversa!
      Vamos lá:

      6 – Nisso eu discordo de você, pois o texto nos diz que ninguém entende, ou seja, não é uma linguagem humana. E se tivesse um chinês ali não entenderia o que estava sendo dito, caso estivesse falando em sua língua?

      7 – Meu querido Fábio que não é de Melo, a revelação escrita já temos que é a Bíblia. O que Deus nos mostra ou revela está de acordo com a Sua Palavra, não existe uma nova revelação. Observe o que está escrito em Dt 13.1-3: “Quando profeta ou sonhador se levantar no meio de ti e te anunciar um sinal ou prodígio, e suceder o tal sinal ou prodígio de que te houver falado, e disser: Vamos após outros deuses, que não conheceste, e sirvamo-los, não ouvirás as palavras desse profeta ou sonhador; porquanto o SENHOR, vosso Deus, vos prova, para saber se amais o SENHOR, vosso Deus, de todo o vosso coração e de toda a vossa alma.” Por exemplo, quando o seu pastor prega ele trás uma nova revelação ou lhes trás uma palavra inspirada por Deus? Da mesma forma quando Deus nos usa ele não trás nenhuma nova revelação. No entanto, o Espírito Santo nos revela o que está se passando com alguma pessoa; é aquilo que a Bíblia chama de discernimento de espírito. Muitas vezes você nunca viu a pessoa ou sabe o que está acontecendo com ela e o Senhor lhe dá as palavras certas para esta pessoa, ou, outras vezes, você sabe por revelação o que está acontecendo com a pessoa. E isso sem usar o ORKUT rs.

      Ok?

      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  10. Olá Pastor. Foi mal aí, mas não tenho que continuar perguntando pra entender direitinho....rs.

    8- Veja o que o senhor diz: "Por exemplo, quando o seu pastor prega ele trás uma nova revelação ou lhes trás uma palavra inspirada por Deus?".

    O pastor está "apenas" interpretando o que está escrito na palavra de Deus. Me parece que o que o senhor chama de "dom" é completamente diferente de uma interpretação do que já está escrito.

    9- O senhor diz: "Da mesma forma quando Deus nos usa ele não trás nenhuma nova revelação. No entanto, o Espírito Santo nos revela o que está se passando com alguma pessoa".

    Deus revelou ao profeta Natã o que estava acontecendo com Davi, no entanto, não foi por causa disso que não foi registrado na Bíblia. Tá tudinho lá.

    Desculpe o que vou dizer agora....espero não ser mal compreendido e por favor não tenha isso como uma afronta. Apenas é para aguçar nossas mentes: revelar o que está se passando com uma pessoa. Não é por isso, para saber essas coisas que as pessoas procuram cartomantes, umbandistas e etc?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu bom amigo Fábio, vamos tentar lhe responder mais esses questionamentos rs.
      8 - Realmente uma coisa é totalmente diferente da outra. O dom de discernimento de espíritos é a habilidade ou capacidade, dada por Deus, de se reconhecer a identidade (e, muitas vezes, a personalidade e a condição) dos espíritos que estão por detrás de diferentes manifestações ou atividades.
      9 – Isso é algo que temos que tomar muito cuidado, pois tem muitas pessoas que pensam que as pessoas que tem esse dom tem a obrigação de ter discernimento em todo o tempo. Lembra quando a Sunamita foi procurar o profeta Eliseu depois que o seu filho morreu? Eliseu não sabia o que havia acontecido, pois o Senhor não havia revelado a ele o que estava se passando. Fábio tem gente que por ser preguiçoso em relação à leitura da Bíblia vive atrás de pessoas que tem esse dom. Saiba de uma coisa, esse tipo de coisa vicia e tem a cara de macumba gospel. A sua colocação tem procedência, infelizmente.

      Fábio me mande o seu e-mail para que eu possa esclarecer algumas coisas que tem ocorrido em nosso ministério que certamente poderão lhe ajudar a entender melhor o que estou tentando lhe explicar. Pelo blog fica meio complicado, tá ok?

      Fique na Paz e aguardando o seu e-mail.
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  11. Ó eu aqui de novo....rs. Tudo bem. Segue email:
    fabiobcorreia@hotmail.com

    Quando tiver um tempinho dê uma lida no nosso último post "O desafio de crescer como uma verdadeira igreja de Deus", inicialmente destinados aos presbiterianos, mas dá pra tirar algum proveito..rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio, assim que eu tiver um tempinho lhe mando o e-mail.
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir
  12. Eu não quero discutir nada por aqui, apenas deixar minha opinião.
    Sou membro de igreja pentecostal tradicional (Assembleia), e tenho uma postura diferente da maioria dos irmãos pentecostais, e uma delas é que eu sou calvinista [soteriologia]. Também a maior parte da literatura cristã que eu leio é reformada. Às vezes me sinto incomodado com gritarias e falta de ordem nos cultos, inclusive eu não frequento os cultos de quinta-feira porque são "cultos de libertação" com campanhas do nipe da Teologia da Prosperidade. Por exemplo, se um irmão tiver gritando demais na igreja, até atrapalhando a pregação, eu me incomodo e "acho" que os visitantes podem pensar que somos loucos, inclusive essa era uma preocupação do apóstolo Paulo. De vez em quando aparece alguma irmã aqui em casa para conversar com a minha mãe, e sempre gostam de dar profetadas, até um dia desses eu estava aqui sentado no pc e uma irmã deu uma profetada na minha cabeça, e eu não achei legal, rsrs. Pastor Silas, eu acho que o pessoal vai atrás desses irmãos "sapatinho-de-fogo" mais porque querem ouvir algo que lhes agrade [Gl 1.10] do que preguiça de ler a Bíblia, mas pode ser também as duas coisas. Esses são alguns dos problemas das igrejas pentecostais, mas se a gente for olhar bem, nas igrejas históricas também tem muita coisa que é mais tradição de homens do que bíblico. Lembrando também que as igrejas primitivas tinham muitos problemas, e mesmo assim não deixavam de ser igrejas cristãs de verdade. Até o Mark Driscoll disse que a igreja de Corinto é a pior igreja da História, rsrs.
    PS: Gostei do posicionamento do Tim Conway sobre o dom de líguas,disponível no Youtube no canal do "VE".
    Paz e um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e paz Gustavo.
      Creio que você tenha o mesmo posicionamento que eu tenho. Eu lhe aconselho a procurar uma outra igreja onde você possa se sentir melhor. Eu já estive em uma igreja assim e acabei saindo por não aguentar tanto barulho e profetadas também.
      Foi quando eu fui para a igreja Batista Renovada e o meu antigo pastor era uma pessoa muito equilibrada, só não era calvinista rs.
      Estarei vendo o video. Obrigado pela dica.
      Fique na Paz!
      Pr. Silas Figueira

      Excluir