domingo, 14 de setembro de 2014

A ESSÊNCIA DO CULTO A DEUS


Por Pr. Silas Figueira


Sl 50.1-23

INTRODUÇÃO

O salmo 50 é em primeiro lugar um salmo didático, ou seja, um salmo que tem a finalidade de ensinar. Ele mostra que o Senhor examinará o Seu povo com base nos princípios espirituais verdadeiros, e não meramente em um espetáculo religioso. Portanto, Asafe é mais que um poeta e cantor, ele é um profeta que o Senhor usa através da música para corrigir o seu povo.

Tanto que o ponto central deste salmo fala que a verdadeira religião ou o verdadeiro culto a Deus consiste em invocar a Deus em tempos de aflição, prestar ações de graças não simplesmente através de sacrifícios, mas através de um coração contrito; de um espírito quebrantado na presença do Senhor.

Através desse salmo podemos destacar algumas lições para nossas vidas.

1ª A PRIMEIRA LIÇÃO QUE APRENDO É QUE O SENHOR CONDENA O FORMALISMO HIPÓCRITA (Vs 7,8; 16-19)

Podemos observar três coisas que os formalistas hipócritas pensam a respeito de Deus:

1º Algumas pessoas pensam que Deus é um ser carente de culto (7,8). Algumas pessoas têm a ideia de que o Senhor lá nos altos céus necessita de culto e se nós não o cultuarmos Ele irá se entristecer e, quem sabe, até morrer como se o nosso culto alimentasse ao Senhor (v 12,13). Deus não é um ser carente, nós é que necessitamos da Sua misericórdia todos os dias para nos sustentar em todas as áreas da vida - física, emocional e espiritual.

2º O formalismo sem um coração contrito o Senhor não aceita (16,17). Quantas pessoas hoje estão com seus corações totalmente longe de Deus, mas com uma frequência ímpar aos cultos? Ou muitos, ainda que não frequentem tanto assim aos cultos, não deixam de enviar os seus dízimos achando que isso é o que agrada a Deus, ou pelo menos ao pastor. Você, certamente, conhece pessoas que pensam assim!

Quem pensa assim desconhece a Deus e o que na verdade Lhe interessa. Tem gente que pensa que pode comprar as bênçãos do Senhor por causa de uma teologia satânica que se tem pregado em muitos púlpitos. Muitas pessoas pensam que basta entregar uma “boa oferta” ou seus dízimos que o Senhor ficará obrigado a lhe abençoar. Preste atenção ao que o Senhor Jesus ensinou sobre a entrega da oferta a Deus:

“Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta” (Mt 5.23,24).

Saiba de uma coisa: Dinheiro não paga a desobediência e, muito menos, a falta de comunhão com os irmãos. Jesus deixou isso bem claro no Sermão do Monte.   
3º Quem pensa assim são os ímpios (v 16a; 18-19). Quem age assim, segundo o próprio Senhor, é o ímpio. É aquela pessoa que não tem fé, que é incrédula, herege. E essas pessoas estão em todas as igrejas. Umas nós até conseguimos identificar bem outras são mais sutis; mas estão em nosso meio, infelizmente.

Mas como devemos agir com pessoas assim? O apóstolo Paulo nos da um excelente conselho:

“Já em carta vos escrevi que não vos associásseis com os impuros; refiro-me, com isto, não propriamente aos impuros deste mundo, ou aos avarentos, ou roubadores, ou idólatras; pois, neste caso, teríeis de sair do mundo. Mas, agora, vos escrevo que não vos associeis com alguém que, dizendo-se irmão, for impuro, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal, nem ainda comais” (1Co 5.9-11).

O salmista nos diz que tais pessoas não obedecem a Deus e se aborrecem com a disciplina e rejeita a Palavra do Senhor, apesar de tê-las nos lábios; tem prazer na companhia de ladrões e adúlteros; e gostam de maledicência e fofoca, e não deixam de difamar os próprios familiares.

E porque não devemos andar e nem ao menos ter comunhão com essas pessoas? Simples, porque “as más conversações corrompem os bons costumes” (1Co 15.33). Quem anda e conversa com gente assim acaba agindo assim também. Por isso, afastem-se de tais companhias.

2ª A SEGUNDA LIÇÃO QUE APRENDO AQUI É QUE A VISÃO QUE A PESSOA TEM DE DEUS DETERMINA AS SUAS ATITUDES (v 21).

Transliterando as palavras do Senhor podemos dizer assim: “Eu não sou farinha do mesmo saco que você”. Existem muitas pessoas que têm uma visão distorcida de Deus. Tem gente que vê Deus como se Ele não se importasse com as nossas atitudes, quem pensa assim não se preocupa com as consequências do pecado, alias, costumam dizer: “Acaso, há conhecimento no Altíssimo?” (Sl 73.11). Para tais pessoas o Senhor não se importa com o que elas fazem de errado. Saiba de três coisas:

1º O silêncio de Deus não quer dizer que Ele esteja aprovando as atitudes erradas das pessoas. Por isso é necessário rever o que temos realizado. Não confunda longanimidade de Deus com aprovação as atitudes erradas que a pessoa comete. Não é porque Deus não se manifestou de forma contrária ao erro que Ele esteja aprovando-o.

2º Há pessoas que pensam que Deus é igual a eles. Quem pensa assim trás Deus a um nível muito baixo. Na verdade está comparando Deus a Satanás, pois quem tem prazer no pecado e em ver os homens longe de Deus é o diabo.

3º No tempo certo Deus há de se manifestar (v 21c). O que o homem planta ele colhe. Veja o que nos diz o profeta Oseias:

“Porque semeiam ventos e segarão tormentas; não haverá seara; a erva não dará farinha; e, se a der, comê-la-ão os estrangeiros” (Os 8.7).

O que plantamos, nós colhemos. Por isso que o apóstolo Paulo nos diz em Gl 6.7,8:

“Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna”.

O que você está plantando meu irmão?

3ª A TERCEIRA LIÇÃO QUE APRENDO AQUI É O QUE É O CULTO A DEUS.

Primeiramente eu tenho que entender que culto não é entretenimento. Não é porque eu não tinha algo mais importante que fazer que eu venho a igreja. Culto não é passa tempo e muito menos igreja não é lugar para diversão. Culto é se prostrar diante de Deus em agradecimento por tudo que Ele é em nossas vidas. É ser grato a Ele por tudo o que alcançamos em cristo Jesus, nosso Salvador.

Segundo o texto que lemos podemos dizer que culto é:

1 – Culto é lugar onde Deus fala (vs 1,7). Não o que eu quero ouvir, mas o que eu necessito ouvir (vs 7,8).

2 – Culto é reconhecer a soberania de Deus (vs 3,4; 10,11).

3 – Culto é a confirmação da Aliança que o Senhor fez com a Igreja (v 5).

4 – Culto é reconhecer a justiça divina (v 6).

5 – Culto é render graças ao Senhor por tudo que Ele tem feito (vs 14,23).

6 – Culto é lugar de recebermos respostas às nossas orações (v 15).

7 – Culto é lugar de julgamento (v 22).

Esta é a essência do culto a Deus. Você quando se reúne para cultuar Deus, por acaso você tem visto isso acontecer no culto? Se tais coisas não estão acontecendo é bom você rever que culto você e a igreja que estão oferecendo a Deus. 

CONCLUSÃO

Hoje em dia, em muitas igrejas o que temos visto não é culto. Podemos chamar de show gospel, mas em hipótese alguma de culto. Pelo menos não a Deus, pois muitos pastores viraram verdadeiros artistas atrás do púlpito. Falam do homem para Deus, mas não falam de Deus para os homens. Falam de autoajuda, mas não da ajuda do alto.

Muitos têm pregado um evangelho sem cruz, sem santificação, sem vida irrepreensível. Mas pregam um evangelho de troca, de barganha, de toma lá da cá. De troca de favores. Este evangelho é o que faz sucesso, ainda que não traga resultados espirituais.

A palavra salvação também sumiu das bocas de muitos líderes, pois para tais indivíduos Jesus morreu na cruz foi para que as pessoas ganhassem carro zero e terem casa na praia. Muitos pregam um evangelho que as pessoas querem ouvir e não o que necessitam ouvir, por isso o que eles chamam de culto, na verdade não é culto a Deus, mas culto a si mesmo e ao homem.

Que o Senhor tenha misericórdia de nós e que possamos ouvir a voz de Deus nos chamando ao arrependimento para não sermos condenados com o mundo.

Pense nisso! Que o Senhor possa sempre receber o nosso culto a Ele prestado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário