quarta-feira, 22 de junho de 2016

ELCANA UM EXEMPLO DE MARIDO


Por Pr. Silas Figuiera

Texto base 1 Samuel 1.1-11, 19-23

Elcana era de Ramataim-Zofim, da região montanhosa de Efaim, e era filho de Jeroão. Servo fiel ao Senhor, tinha duas esposas: Ana e Penina. Anualmente levava sua família para adorar e fazer sacrifícios em Siló, onde Eli era sacerdote (1Sm 1.1-4). Amava profundamente a Ana, embora esta fosse estéril (1Sm 1.5).

Elcana era um marido que procurava suprir as necessidades de suas esposas, mesmo sendo Ana estéril, ele cuidava dela, pois a amava. Elcana poderia ter se divorciado de Ana, afinal de contas ela era uma mulher que não lhe completava como família, ela não gerava filhos. Não são poucos os casos, hoje em dia, de homens que se separam de suas esposas por elas não poderem ter filhos. Há relatos de muitas mulheres na África que por não terem filhos são devolvidas para os pais. Algo extremamente humilhante. 
  
Ele poderia trata-la com desdém, pois para muitos homens era uma mulher doente. Eu conheci uma moça que estava com câncer e que quando o marido chegava em casa dizia para ela morrer logo, isso quando não agredia fisicamente. Ele era um covarde e criminoso. Um monstro para ser exato! Enquanto ela era jovem e bonita, e ele podia exibi-la não havia problema algum, mas no dia em que ficou doente ele revelou que não a amava.
 
Elcana poderia dar atenção somente para Penina, pois esta tinha filhos, mas ele não fazia isso. É bom destacar que provavelmente Ana fora a sua primeira esposa, naquela época era comum os homens terem mais de uma mulher, principalmente se esta não pudesse gerar filhos.

Mas o que fez com que Elcana tratasse Ana de forma diferente foi porque ele a amava.  É o amor é que sustenta um casamento diante das adversidades da vida. A saúde um dia pode vir a acabar, a beleza pode deixar de existir, a crise muitas vezes nos bate à porta. Todo casamento passa por adversidades. Mas é nessa hora que o amor faz toda diferença no casamento. Um casamento sem amor não passa de um ajuntamento de corpos. Como disse Paulo em Colossenses 3.4: “O amor é o vínculo da perfeição”.

O que o apóstolo Paulo nos fala em Efésios 5.25-33 de como os maridos cristãos deve tratar as suas esposas, Elcana já fazia isso por Ana. Isso prova que é o amor que gera o cuidado, o carinho e o respeito. É somente através do amor que não é egoísta, ou seja, que não busca os seus próprios interesses (1Co 13.5), que um casamento pode se manter de pé, e os maridos, amarem as suas esposas como Cristo amou a igreja.

O amor de Elcana por Ana fez dele um exemplo de marido cuidando dela em quatro áreas:

Primeiro, Elcana foi um exemplo de marido, pois ele cuidava da sua vida espiritual (1Sm 1.4,5).

“No dia em que Elcana oferecia o seu sacrifício, dava ele porções deste a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos e filhas. A Ana, porém, dava porção dupla, porque ele a amava, ainda mesmo que o SENHOR a houvesse deixado estéril”.

Elcana era responsável pela vida espiritual de Ana, ele exercia o sacerdócio em sua casa. Ele não era negligente com a espiritualidade em seu lar.

Hoje quantas mulheres reclamam que seus maridos são homens que não se importam em ler a Bíblia, não oram e se oram, oram sozinhos. Muitos maridos não intercedem por sua família e nem leva a sua família para os pés do Senhor. Não são exemplo de vida espiritual. Elcana era um exemplo buscando influenciar a sua família no temor do Senhor.

Creio que pelo seu exemplo de fé de seu marido Ana buscou a Deus confiando que Ele era capaz de realizar um milagre em sua vida.

Segundo, Elcana foi um exemplo de marido, pois ele cuidava da sua vida emocional (1Sm 1.8).

“Então, Elcana, seu marido, lhe disse: Ana, por que choras? E por que não comes? E por que estás de coração triste? Não te sou eu melhor do que dez filhos?”

Elcana se preocupava com os sentimentos de Ana. Ele olhava para ela com carinho e se condoia de sua dor. Ainda que ele não entendesse a sua angústia de forma plena, pois ele achava que ele era melhor que dez filhos para ela; mas mesmo assim ele procurava suprir a necessidade emocional de sua esposa. Com essas palavras ele tentava lhe mostrar que ele a amava e queria vê-la feliz. Que se compadecia de sua dor e sofrimento.

Quantos maridos que são ausentes na dor da esposa. Acham que é “frescura”, que choram por qualquer motivo. Não procuram entendê-las e nem são companheiros na hora da dor.

Os homens precisam entender que as mulheres são muito mais propensas a depressão, choram muitas vezes sem motivo aparente... Nessas horas que os maridos precisam estar ao lado delas e não ficar as criticando. 

Terceiro, Elcana foi um exemplo de marido, pois ele cuidava para que Ana tivesse maturidade espiritual (1Sm 1.21-23).

“Subiu Elcana, seu marido, com toda a sua casa, a oferecer ao SENHOR o sacrifício anual e a cumprir o seu voto. Ana, porém, não subiu e disse a seu marido: Quando for o menino desmamado, levá-lo-ei para ser apresentado perante o SENHOR e para lá ficar para sempre. Respondeu-lhe Elcana, seu marido: Faze o que melhor te agrade; fica até que o desmames; tão-somente confirme o SENHOR a sua palavra. Assim, ficou a mulher e criou o filho ao peito, até que o desmamou”.

Ana fez um voto a Deus e Elcana lhe fez lembrar que esse voto deveria ser cumprido. Isso se chama maturidade espiritual. Pessoas imaturas espiritualmente falando são pessoas que fazem votos e não os cumprem. No entanto, Elcana por ser um homem maduro espiritualmente fazia com que sua casa tivesse essa maturidade também.

Veja o que Salomão nos fala no livro de Ecresiástes 5.4,5:

“Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos. Cumpre o voto que fazes. Melhor é que não votes do que votes e não cumpras”.

Clint Archer disse que a “infantilidade só é irritante em um adulto. Quando uma criança de quatro anos veste uma capa, uma cueca por sobre a calça, alegando ter visão raio-x, isso é fofo. Quando seu pai faz isso, é preocupante (ou insanidade)”. Assim são muitos crentes imaturos fazendo votos absurdos e irraciionais. Não estou falando de novos convertidos, mas de crentes que já deveriam estar ensinando. O escritor da Carta aos Hebreus viu um paralelo entre a alimentação de um bebê e a condição espiritual dos cristãos. Eles são reprovados por não terem crescido na vida cristã, por continuarem sendo como criancinhas recém-nascidas que necessitam de leite, não suportando ainda alimentos sólidos, ou seja, um ensino espiritual mais profundo. Eles não têm progredido na fé (Hb 5.11-14).

A maturidade espiritual nos leva a tomarmos decisões dentro dos princípios bíblicos e nos esforçamos por coloca-los em prática. O maduro na fé não toma decisões precipitadas e impensadas, mas procura fazer tudo na direção do Espírito Santo.

Creio que Ana quando tomou a decisão de fazer aquele voto não foi algo de repente, mas provavelmente já vinha falando a respeito disso com Deus e com o seu marido. Tanto que ele não a questiona, mas lhe diz para cumprir o que havia votado.

Quarto, Elcana foi um exemplo de marido, pois acreditava e incentiva os projetos de Ana (1Sm 1.23a).

“Respondeu-lhe Elcana, seu marido: Faze o que melhor te agrade...”

Como já falamos anteriormente, creio que Elcana sabia do que Ana queria fazer se tivesse um filho e se este fosse um menino. Ele a incentivou em seu voto. Ele foi um fator motivacional para ela. Agora quantos maridos tentam o tempo todo desmotivar as suas esposas em seus projetos e sonhos. Quantos maridos se tornam pedra de tropeço para suas esposas; não as incentivam para que seus sonhos se tornem realidade.

Quantas mulheres gostariam de estudar, mas não tem o incentivo dos maridos, isso quando elas não ouvem várias críticas.

O que Elcana fez serve de exemplo para todos nós, ele não só a incentivou como participou do projeto com ela.

Maridos ousem sonhar com as suas esposas, e se esforcem para que esse sonho se torne realidade.

Quero concluir essa nossa reflexão dizendo que Elcana foi um exemplo, pois ele amava a sua esposa. Se quisermos fazer a diferença na vida de nossas esposas devemos ama-las, respeita-las e lhes dar nossa total compreensão. Somente com ajuda do Espírito Santo seremos capazes de por em prática o que o Senhor nos ensina em Sua Palavra em relação ao cuidado para com as nossas esposas. 
  
Pense nisso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário